Linha do tempo

Chamado ao escritório episcopal por  Dom Antônio Afonso de Miranda _na época bispo de Lorena (SP) _, em 1976, padre Jonas Abib, na época com 37 anos, recebeu a missão de colocar em prática o que afirma a Exortação Apostólica “Evangelii Nuntiandi” (Evangelização no Mundo Contemporâneo, assinado pelo, agora Beato, Papa Paulo IV em 8 de dezembro e publicado em 21 de dezembro de 1975): “os batizados não são evangelizados” . Esse documento apontava para um grande desafio. Ao apresentá-lo a padre Jonas, Dom Antônio afirmou: “É hora de evangelizar porque os batizados não são evangelizados. Como você trabalha com jovens, comece com eles. Faça alguma coisa!”.

A partir daí, essa história começou a ser escrita e continua sendo construída, todos os dias, por mais de mil membros. Sacerdotes, seminaristas, leigos, celibatários, casados, homens, mulheres, pais, mães e filhos, de diferentes idades, profissões, origens e nacionalidades são os protagonistas desta história.

São mais de 36 anos de caminhada e o chamado continua a ecoar forte até os dias de hoje. Deus, que vem socorrer as necessidades urgentes do nosso tempo, continua a encorajar tantos outros a entrar nesta linda aventura de fé.

Percorra os momentos marcantes dessa história:

1976

Dom Antônio Afonso de Miranda faz um chamado ao monsenhor Jonas [sacerdote na época] para que se dê uma atenção especial ao “Evangelii Nuntiandi”: Evangelização no Mundo Contemporâneo, assinado pelo Papa Paulo IV em 8 de dezembro e publicado em 21 de dezembro de 1975. O desafio era evangelizar pelos meios de comunicação. Acontece ainda nessa época o primeiro encontro na “Canção Nova, a Casa de Maria”, em Queluz (SP).

1977

Padre Jonas oferece encontros para jovens. Acontece o que dizia o documento pontifício apresentado por Dom Antônio ao sacerdote: “Tocados pela graça, descobrem pouco a pouco o rosto de Cristo e experimentaram a necessidade de a Ele se entregar”. Luzia Santiago diz seu “sim”, durante a Festa de Cristo Rei, ao lado de outros 11 jovens.

1978

No ano em que João Paulo II é eleito Papa, padre Jonas inicia, aos 42 anos, a Comunidade Canção Nova – no dia 2 de fevereiro, em Queluz (SP). Deus coloca forte no coração do sacerdote o capítulo 45 do “Evangelii Nuntiandi”. “Postos ao serviço do Evangelho, tais meios são suscetíveis de ampliar, quase até o infinito, o campo para poder ser ouvida a Palavra de Deus e fazer com que a Boa Nova chegue a milhões de pessoas” (EN, n.45).

1979

Logo depois do Rebanhão, retiro aberto realizado nos dias de Carnaval, em Cruzeiro (SP), padre Jonas e seus jovens missionários começam a construção de quatro casas em Cachoeira Paulista, interior de São Paulo. Como ganharam apenas uma faixa do terreno, foi feito um sobrado que servia como capela, escritório, entre outros.

1980

Com a aquisição da Rádio Bandeirantes (AM 1020), em Cachoeira Paulista (SP), vai ao ar o “Alô, bom dia!”, o primeiro programa da Rádio Canção Nova, com padre Jonas, Luzia Santiago e Elzinha. A abrangência do sinal ainda era pequena: apenas para as cidades vizinhas a sede desta Obra de Deus.

1982

Nascem a Fundação João Paulo II, mantedora do Sistema de Comunicação Canção Nova, e o Departamento de Audiovisuais (DAVI). O Departamento conta com uma estrutura multicanal de comercialização com iniciativas no varejo, atacado, porta-a-porta e e-commerce, contando também com uma central de atendimento telefônico.

1989 a 1991

Com a transmissão da Santa Missa para todo o Vale do Paraíba, é lançada em 8 de dezembro de 1989 a TV Canção Nova, com câmeras VHS. Também é criada a primeira Casa de Missão – a de São Gonçalo dos Campos (BA). Dois anos depois da criação da casa, ocorre a primeira morte de uma missionária da Comunidade Canção Nova, Izabel Cortêz, que trabalhava no local e, após este acontecimento, Mons. Jonas Abib convoca a comunidade a viver a santidade com toda a radicalidade: “Ou santos ou nada”.

1993

Com a compra da primeira máquina off-set, é fundada a Editora Canção Nova, responsável pela produção de livros e devocionários. Com 15 anos de atuação no mercado editorial, a Editora conta com mais de cem títulos entre publicações nas áreas de espiritualidade, livros infanto-juvenis e biográficos. Neste ano, Padre Jonas escreve os Estatutos da Comunidade.

1994 e 1995

A Rádio Canção Nova começa a operar via satélite para todo o país. É formado o primeiro grupo de discipulado em Queluz (SP). Acontece o reconhecimento diocesano dos Estatutos da Comunidade Canção Nova. Em 1995, acontecem os primeiros Acampamentos de Oração na Chácara Santa Cruz, sede da comunidade, em Cachoeira Paulista (SP).

1996 e 1997

É lançado o primeiro portal da Canção Nova na internet (www.cancaonova.org.br). Têm início as transmissões via satélite da Rede Canção Nova de TV. Compra-se a geradora em Aracaju (SE) e lança-se o projeto “Dai-me Almas”. É aberta a primeira Casa de Missão no exterior, em Roma (Itália).

1998

A programação da Rádio AM Canção Nova passa a ser retransmitida por meio da internet. Em Fátima (Portugal) é aberta a segunda Casa de Missão no Velho Continente. No inicio, os três missionários que trabalhavam no local faziam adorações; promoviam grupos de oração; levavam eucaristia aos doentes; e promoviam encontros de evangelização e de jovens, tanto no local como nas cidades vizinhas.

2000 e 2001

  • Inauguração do Instituto Canção Nova, que hoje atende mais de mil crianças da cidade, e da Casa do Bom Samaritano, voltado a moradores de rua e pessoas em estado de vulnerabilidade social.
  •  O novo portal cancaonova.com estréia na internet. Em 2001, o portal cancaonova.com inaugura novos canais, como o Rosário Online, ampliando a interatividade com internautas católicos do mundo todo.

2002

Padre Jonas se encontra com o Papa João Paulo II, em Roma, e lança seu próprio site (www.padrejonas.com). A página conta com os menus: vida e pensamento, mensagem do dia, palavra do mês, o que dizem dele, aniversário, números, discografia, pregações, livros, artigos, informativos, fotos, download, mobile e fale com o padre.

 2003

Tem início as transmissões FM da Rádio Canção Nova, o point da música cristã. A programação conta com os programas: ‘Café da manhã’, ‘Sorrindo para a vida’, ‘Conexão CN’, ‘O amor vencerá’, ‘A boa do dia’, ‘Hora da Misericórdia’, ‘Fim de tarde’, ‘Terço Mariano’ e ‘Trilha Sonora’.

 2004

A Canção Nova lança a primeira WebTV católica do mundo. É aberta a primeira Casa de Missão nos Estados Unidos. Nasce o Progen (Projeto Geração Nova). Acontece o I Hosana Brasil, evento que marca a inauguração do Centro de Evangelização Dom João Hipólito de Moraes, com capacidade para 70 mil pessoas.

2005

No sul da França, em Toulon, é inaugurada a primeira Casa de Missão no país. Nasce a Companhia de Artes Canção Nova. Em Frankfurt (Alemanha), a CN participa da Feira Internacional do Livro. Direto de Roma, padre Jonas comenta ao vivo pela TV Canção Nova a morte do saudoso Papa João Paulo II e o processo de eleição de Bento XVI.

2006

Começa a operar a segunda geradora da CN – a Rádio América (AM 1410), de São Paulo -, ampliando a audiência da Rádio Canção Nova. A TV CN recebe o prêmio Santa Clara da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB pelo documentário Concílio Vaticano II).

2007

Padre Jonas recebe o título de “monsenhor” do Papa Bento XVI e grava o seu primeiro DVD. A Editora CN estréia na Bienal Internacional do Livro de São Paulo. Em dezembro, a Canção Nova é homenageada na Câmara dos Deputados, em Brasília (DF). Durante o 4º Hosana Brasil é lançada a pedra fundamental da igreja do Pai das Misericórdias, cuja capacidade é para 10 mil pessoas.

2008

  • Inicia-se a construção do Santuário do Pai das Misericórdias, o sonho de Monsenhor Jonas Abib, fundador da Comunidade Canção Nova,  começa a tornar-se realidade. A construção deste santuário é um símbolo da força e união de um povo, um projeto pensado com o objetivo de manter a simplicidade da Canção Nova e sua religiosidade. O local escolhido para a construção marca a realeza de Deus, pois é um ponto alto que poderá ser avistado até mesmo da principal rodovia federal do país: a Presidente Dutra, que liga o Rio de Janeiro a São Paulo.
  • A Comunidade Canção Nova é reconhecida pela Santa Sé com um decreto em caráter ad experimentum de cinco anos , procedimento comum nesse tipo de processo. O documento foi assinado no dia 12 de outubro de 2008, e entregue a monsenhor Jonas Abib, no Vaticano, no dia 3 de novembro do mesmo ano. Desde então, a Canção Nova aguardava pela aprovação definitiva.

2009

No dia 21 de janeiro de 2009, a Comunidade Canção Nova é admitida, oficialmente, na Família Salesiana, durante a reunião do Conselho Geral dos Salesianos, em Roma, pelo Reitor-Mor dos Salesianos, padre Pascual Chávez Villanueva.

2011

A Igreja do Pai das Misericórdias recebe o título de Santuário.

2014

  •  No dia 29 de junho de 2014, Solenidade de São Pedro e Paulo Apóstolos, a Santa Sé aprova, definitivamente, os Estatutos da Comunidade Canção Nova e acolhe, favoravelmente, as mudanças colocadas nos Estatutos, aprovados em 12 de outubro de 2008 (em caráter ad experimentum) e confirma o reconhecimento da associação Comunidade Canção Nova como associação privada internacional de fiéis, com personalidade jurídica, segundo os canones 298-311 e 321-329 do Codigo de Direito Canônico.
  • Em 19 de outubro do ano de 2009 são ordenados nove sacerdotes, encardinados na Diocese de Lorena (SP) para exercerem o ministério sacerdotal na Comunidade Canção Nova.
  • No dia 29 de outubro, o Santo Padre saúda os membros da comunidade Canção Nova após a catequese, na Praça de São Pedro e menciona o Reconhecimento Pontifício Definitivo concedido à comunidade pelo Vaticano, no dia 29 de junho deste ano, Solenidade de São Pedro e São Paulo.
  • Em 30 de Outubro, em Roma, acontece a missa de Ação de Graças pelo Reconhecimento Pontifício Definitivo da Canção Nova presidida por Dom Alberto Taveira, atual Arcebispo Metropolitano de Belém do Pará, durante a abertura da
    Conferência Internacional da Fraternidade Católica.
  • Em 5 de dezembro acontece a Festa da Dedicação do Santuário do Pai das Misericórdias.
  • Em 8 de dezembro é celebrado o jubileu de ouro sacerdotal de Monsenhor Jonas Abib, fundador da Comunidade Canção Nova.