Série especial

Na segunda reportagem da série sobre os Movimentos Eclesiais e as Novas Comunidades – exibido pelo Telejornal Canção Nova Notícias -, você vai saber um pouco mais sobre o trabalho de evangelização realizado por elas, como se desenvolveram sob o Pontificado de João Paulo II e qual a visão do Papa Bento XVI sobre a renovação gerada por elas na vida da Igreja .

Assista à reportagem

Como desejou o Papa João Paulo II, os Movimentos e as Novas Comunidades de todo o mundo se encontraram, pela primeira vez, em 1998, na Praça São Pedro no Vaticano. Foi no centro do mundo cristão que se repetiu, assim, o primeiro cenáculo como ocorreu com os apóstolos em Jerusalém. O Papa e as Novas Comunidades desejaram, ardentemente, a efusão do Espírito Santo e professaram, com a Igreja, que há um só Senhor e que é o mesmo Deus quem opera tudo em todos.

Certamente, o encontro ressoa até hoje nos corações, principalmente, pelas palavras dos grandes pioneiros desse novo sopro do Espírito na Igreja. Em 2006, após um ano de pontificado, Bento XVI desejou ouvir os testemunhos destes evangelizadores. Às vésperas de Pentecostes, em um novo encontro repleto de cores, animação e testemunho de oração, o Papa afirmou: “A força e a beleza desses movimentos e comunidades estão na vitalidade do testemunho evangélico”.

Aos 400 mil reunidos na praça, bem como à imensa multidão que faz parte dos movimentos e comunidades, o Sumo Pontífice deixou ainda seu apelo: “Queridos amigos, peço que vocês sejam ainda mais, muito mais, colaboradores do ministério universal do Papa, abrindo as portas a Cristo. Este é o melhor serviço da Igreja aos homens”.

Veja também:

:: Reportagens mostram a realidade das Novas Comunidades, a obra Canção Nova e o Reconhecimento Pontifício

Comentários