Roma

Conheça os lugares onde acontecerão as Missas e os eventos durante os dias em que a Canção Nova vai estar em Roma para o Reconhecimento Pontifício:

Igreja Sant’Andrea al Quirinale

A primeira celebração acontecerá em 2 de novembro na Igreja Sant’Andrea al Quirinale. A Missa será presidida pelo Arcebispo de São Paulo, Cardeal Dom Odilo Pedro Sherer.

Dom Odilo detém o título de Cardeal Sacerdote do Quirinali em San Andrea. A igreja pertence ao seminário jesuíta na Colina do Quirinal, em Roma. É considerado um dos melhores exemplos da arquitetura barroca romana.

Sala Magna

No dia 3, acontecerão duas celebrações. A primeira será a Cerimônia do Reconhecimento na Sala Magna do Pontifício Conselho para Leigos, dicastério que assiste ao Papa em todas as questões relacionadas com o aporte que os fiéis leigos dão à vida e à missão da Igreja, seja como pessoas individuais ou por meio das diversas formas de organizações que nasceram e que, continuamente, nascem na Igreja, como as Novas Comunidades e os Movimentos Eclesiais.

Basílica de São João de Latrão

Na tarde do dia 3, às 14h, o Presidente do Pontifício Conselho para Leigos, Cardeal Dom Stanislaw Rylko, celebrará uma Missa na Basílica de São João de Latrão, que é a catedral do Papa. A Basílica, cujo nome oficial é Arquibasílica do Santíssimo Salvador, fica na praça de mesmo nome em Roma.

Como catedral da Diocese de Roma, ela contém o trono papal (Cathedra Romana), o que a coloca acima de todas as igrejas do mundo, inclusive da Basílica de São Pedro. É a mãe de todas as igrejas. Durante a Idade Média, na Basílica de São João de Latrão foram realizados cinco grandes Concílios ecumênicos.

A Basílica foi fundada por Constantino, primeiro imperador cristão. Era a única dentre as três grandes basílicas construídas que se encontrava no interior dos muros que cercavam a cidade e, por isto, serviu de catedral. A Basílica de São Pedro e a Basílica de São Paulo Fora dos Muros situavam-se sobre os túmulos dos apóstolos, do lado externo da muralha.

Basílica de São Paulo Fora dos Muros

Às 7 horas do dia 4 de novembro, o prefeito da Congregação para o Clero, Cardeal Dom Cláudio Hummes, celebrará uma Missa para os peregrinos e para a comunidade Canção Nova na Basílica de São Paulo fora dos Muros. A Basílica é famosa por suas obras de arte.

Na noite de 15 de julho de 1823, um incêndio a destruiu; porém, ela foi reconstruída idêntica ao que era antes com a reutilização dos elementos poupados pelo fogo. Papa Gregório XVI, em 1840, consagrou o Altar da Confissão e, em 1928, foi acrescentado o pórtico da 146 colunas.

São Paulo Fora dos Muros é um vasto complexo extraterritorial. Além da Basílica papal, o conjunto compreende uma abadia beneditina muito antiga e bastante atuante nos dias de hoje, na qual os monges promovem o ministério da Reconciliação e a realização de eventos ecumênicos.

É na Basílica que se conclui todos os anos, solenemente no dia da conversão de São Paulo – 25 de janeiro -, a Semana pela Unidade dos Cristãos. O Papa Bento XVI, em 28 de junho de 2007, esteve na Basílica para promulgar o “Ano Paulino”.

Auditórium Concilizone

Às 18h da terça-feira, 4, será realizado um show com os músicos da Canção Nova no Auditorium Concilizzione. O local, que está localizado na rua que dá acesso a Basílica de São Pedro, foi inaugurado durante o ano santo de 1950.

As audiências papais aconteciam neste auditório, posteriormente é que passaram a ser realizadas na Sala Paulo VI. O local tem sido palco de concertos dirigidos por grandes músicos.

Praça de São Pedro

Na quarta-feira, 5 de novembro, todos se reunirão na Praça São Pedro para a Audiência Geral com o o Papa Bento XVI. Em frente à Basílica de São Pedro está a praça de mesmo nome.

Desenhada por Bernini no século XVII, a parte oval reflete o estilo barroco, próprio da época da Contra-reforma. Quase todos os visitantes que chegam ao Estado do Vaticano visitam primeiro a Praça.

Basílica de Santa Maria Maior

Na tarde do dia 5, na Basílica de Santa Maria Maior, será celebrada a Missa de encerramento dos festejos do Reconhecimento. A Basílica de Santa Maria Maior foi construída entre 432 e 440 (séc. V) durante o pontificado do Papa Sisto III e é dedicada ao culto de Maria, Mãe de Deus.

A Basílica é a mais antiga igreja do Ocidente consagrada à Virgem Maria. Especialmente, relaciona-se com essa obra a definição dogmática da maternidade divina de Maria, proclamada pelo Concílio de Éfeso.

O povo da cidade de Éfeso celebrou com grande entusiasmo esta declaração dogmática. Essa alegria estendeu-se por toda a Igreja e foi, então, que se construiu, em Roma, a Basílica.

 

Comentários